Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
O arquiteto e professor da FAU USP, José Lira, comenta os tempos sombrios vividos pelo Brasil, onde hordas de militantes da extrema-direita agridem física e moralmente pessoas vinculadas às artes e à cultura.

how to quote

LIRA, José. Tempos sombrios. Drops, São Paulo, ano 18, n. 121.01, Vitruvius, out. 2017 <http://vitruvius.com.br/revistas/read/drops/18.121/6713>.



Naturalmente muitos de nós estamos assustados com os tempos sombrios que atravessamos! Nos últimos dias temos nos ocupado do assédio ultraconservador na cultura. E num momento em que, desde que Temer chegou ao poder, a área só faz derreter. Fico pensando não somente em seus impactos sobre o sistema de patrocínio, mas na loucura que deve estar espalhando na vida e no trabalho de milhares de artistas país afora.

Pessoalmente, como tantos, ando desacorçoado com o cenário: milícias impunes a ofender e até agredir fisicamente visitantes e funcionários de museus, jornalistas e críticos a fingir poder colocar a questão em termos estéticos, desembargadores e promotores a insuflar massas desinformadas com atos de judicialização irresponsáveis, peças sendo proibidas, exposições fechadas, artistas e instituições sendo ameaçados, autoridades quietas, nenhum freio, nenhuma punição. Ao contrário, aqui mesmo em São Paulo, esse Dória, que não pensa em outra coisa senão se cacifar pra presidente, vem a público avalizar, qual Donald Trump, a ação de desqualificados com sangue nos olhos. Da parte do secretário da cultura, até hoje: silêncio retumbante!

Não resta dúvidas – vide o canastrão truculento à frente do ataque ao MAM – que não se trata de uma questão de qualidade artística, nem muito menos de moral e bons costumes. Como também não se tratava de corrupção quando os mesmos foram às ruas gritar contra a corrupção e pelo impeachment, pois agora silenciam ante malas de dinheiro, contas no exterior, conversas de escroques na calada da noite! Para esses milicianos das fake news trata-se de puro cálculo eleitoral! Sórdida e ardilosamente planejado!

Mas o que está se erguendo ao nosso redor é uma plataforma ainda mais perigosa: a projeção política do que há de mais sombrio na humanidade, o típico totalitarismo do mercado cravado na ralé! Não dá pra discutir com bom senso com essa gente, nem nos termos da crítica de arte, nem apelando à informação fidedigna, nem ao melhor dos argumentos!

É preciso furar a comunicação com suas bases, isto é, não confundi-las com o exército de robôs com que os milicianos operam nas redes. E assumir que estamos em estado de guerra no Brasil. Guerra cultural e tecnológica por hora, mas uma guerra.

Ou cerramos fileiras na internet, na imprensa, nas escolas, nos teatros, nos museus, nas universidades, ou não restará uma centelha sequer de democracia, pra não dizer de sociedade! Se não o assumirmos – creio – não conseguiremos preservar qualquer direito à invenção e à transgressão artística, nem defender as mínimas liberdades civis! Liberdade de se expressar e de pensar, de manifestar-se publicamente, de ir às ruas, de somar-se às lutas dos sem direito, nem do que ainda não entrou ou que mal entrou no campo dos direitos. E isso implica certamente também fortalecermos e construirmos os representantes legítimos da liberdade e da democracia na grande política!

nota

NE – o presente artigo foi publicado originalmente na página do autor no Facebook.

sobre o autor

José Tavares Correia de Lira é arquiteto e professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

biblioteca tempos temerários

Tempos Temerários é um projeto de Abilio Guerra e Giovanni Pirelli, produzido pela equipe do Marieta (portal Vitruvius + Irmãos Guerra Filmes + produtora Cactus), que visa ser um momento de debate sobre temas da atualidade, como um laboratório permanente para pesquisar técnicas, ações e ideias de resistência e transformação politica, social e cultural.

BRUM, Eliane. Gays e crianças como moeda eleitoral. El País, Madri, 18 set. 2017 <https://brasil.elpais.com/brasil/2017/09/18/opinion/1505755907_773105.html>.

COLI, Jorge. Erotismo em tempos de cólera e boçalidade. Drops, São Paulo, ano 18, n. 120.04, Vitruvius, set. 2017 <www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/18.120/6703>.

COLI, Jorge. Por moralismo torpe, pessoas decidem eliminar a reflexão e neutralizar a arte. Drops, São Paulo, ano 18, n. 121.06, Vitruvius, out. 2017 <www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/18.121/6734>.

GUERRA, Abilio. As imagens e a palavra de Deus no gospel brasileiro. Sobre o musical Terremoto Santo, de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca. Resenhas Online, São Paulo, ano 17, n. 190.02, Vitruvius, out. 2017 <www.vitruvius.com.br/revistas/read/resenhasonline/17.190/6733>.

GUERRA, Abilio. Notícias dos tempos temerários. Resenhas Online, São Paulo, ano 17, n. 189.04, Vitruvius, set. 2017 <www.vitruvius.com.br/revistas/read/resenhasonline/17.189/6706>.

LIRA, José. Tempos sombrios. Drops, São Paulo, ano 18, n. 121.01, Vitruvius, out. 2017 <www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/18.121/6713>.

LUZ, Afonso. Lygia Clark: todo bicho tem articulações. Drops, São Paulo, ano 18, n. 121.03, Vitruvius, out. 2017 <www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/18.121/6719>.

LUZ, Afonso. Trolagem institucional. Resenhas Online, São Paulo, ano 17, n. 190.01, Vitruvius, out. 2017 <www.vitruvius.com.br/revistas/read/resenhasonline/17.190/6718>.

MIYADA, Paulo. Carta ao prefeito de São Paulo. Sobre o nu no MAM-SP. Drops, São Paulo, ano 18, n. 121.02, Vitruvius, out. 2017 <www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/18.121/6714>.

PINHEIRO-MACHADO, Rosana. A nova direita conservadora não despreza o conhecimento. Carta Capital, São Paulo, 10 out. 2017 <https://www.cartacapital.com.br/politica/a-nova-direita-conservadora-nao-despreza-o-conhecimento>.

TIBURI, Marcia. Sobre os últimos acontecimentos. A arte, a alma, os inquisidores. Drops, São Paulo, ano 18, n. 121.05, Vitruvius, out. 2017 <www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/18.121/6732>.

 

comments

newspaper


© 2000–2017 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided