Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

newspaper

news

Adriana Levisky, Anupama Kundoo, Edson Diniz, Gilson Rodrigues, Marcos Boldarini, Renata Semin e Xie Xiaoying

O 27º Congresso Mundial de Arquitetos começou com sucesso: três debates e uma live – veiculados de forma aberta e gratuita por uma semana – reuniram, de 22 a 25 de março, nomes dos mais relevantes internacionalmente em abordagens sobre as Fragilidades e Desigualdades das cidades no mundo. Em seguida, começaram a ser publicadas na plataforma exclusiva aos Congressistas as ArchiTalks, palestras com média de 20 minutos.

E os palestrantes são:

Adriana Levisky (Brasil)

Fundadora do escritório Levisky Arquitetos I Estratégia Urbana, em São Paulo, Adriana Levisky tem trabalhado em projetos urbanos e institucionais para as áreas da saúde, cultura e educação. Entre suas obras mais destacadas estão o Museu Aberto Cratera de Colônia (Prêmio Master Imobiliário 2011), a Praça Victor Civita – Museu Aberto da Sustentabilidade (Prêmio IAB 2008), o Senac São Miguel Paulista (premiado no Americas Property Awards 2020-2021) e o Plano Diretor do Hospital Albert Einstein (Prêmio Melhor da Arquitetura 2011).

Anupama Kundoo (Índia)

A indiana Anupama Kundoo é reconhecida por sua pesquisa e experimentação de materiais para uma arquitetura de baixo impacto ambiental, adequada ao contexto socioeconômico. Lecionou em Berlin, Londres, Nova York, Brisbane, Veneza, Barcelona e atualmente em Madri. Muitos de seus edifícios estão em Auroville, cidade para onde a arquiteta se mudou, depois de formada na Universidade de Mumbai em 1989. Em Auroville, trabalhou com o arquiteto modernista Roger Anger. Em 2013, recebeu uma menção honrosa no Prêmio ArcVision International para Mulheres na Arquitetura.

Edson Diniz (Brazil)

Morador por 40 anos da favela Nova Holanda – no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, Edson Diniz, historiador e doutor em Educação Brasileira, é diretor e fundador da ONG Redes da Maré, uma das mais importantes organizações sociais da comunidade. Também criou o Núcleo de Memória e Identidade dos Moradores da Maré (NUMIM), por onde publicou dois livros, e, por duas décadas, foi professor da rede pública e privada.

Gilson Rodrigues (Brasil)

Gilson Rodrigues é presidente do G10 Favelas, empreendedor social, consultor e líder comunitário. Fundador do Instituto Escola do Povo, organização responsável pela alfabetização de mais de 7 mil jovens e adultos, e criador de projetos esportivos e culturais, como o Craques do Amanhã, a Orquestra Filarmônica de Paraisópolis e o Ballet de Paraisópolis. Recentemente, lidera o Comitê das Favelas – Presidentes de Rua, iniciativa de combate à pandemia do coronavírus em comunidades no Brasil.

Marcos Boldarini (Brasil)

Marcos Boldarini, professor na Escola da Cidade, em São Paulo, tem uma série de trabalhos nas bienais internacionais de arquitetura de Veneza (2002, 2010, 2012, 2014 e 2018), Roterdã (2009 e 2012), Quito (2010), Buenos Aires (2013) e São Paulo (2011 e 2013), premiado nas três últimas. É conhecido por seu trabalho em habitação social e urbanização de favelas – entre elas o Complexo Cantinho do Céu e Jaguaré, ambas em São Paulo.

Renata Semin (Brasil)

Recém-formada, Renada Semin juntou-se a seis colegas para criar o Piratininga Arquitetos Associados (PAA). De forma coletiva, tem trabalhado em habitação social em São Paulo. Entre seus projetos estão a restauração e modernização da Biblioteca Municipal Mário de Andrade, a Biblioteca Central e o Ambulatório de Fisioterapia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas; e o projeto de 360 apartamentos para professores do campus do Instituto de Tecnologia Aeronáutica.

Xie Xiaoying (China)

Xie Xiaoying é uma das arquitetas chinesas mais influentes em desenvolvimento sustentável, com projetos focados em preservação ambiental e, sobretudo, aproveitamento da água. Tem trabalhos relevantes de recuperação urbana e ambiental em Adis Abeba, capital da Etiópia, e em Pequim, na China. Escolhida entre "as mais influentes mulheres na arquitetura", em 2018, pela Associação de Mulheres Arquitetas da China.

<br />Imagem divulgação


Imagem divulgação

27º Congresso Mundial de Arquitetos

source
Assessoria de Comunicação UIA2021RIO
Rio de Janeiro

share


© 2000–2022 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided