Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

my city ISSN 1982-9922

abstracts

how to quote

ENCARNAÇÃO, Fabrício Sanz. Orla de Camburi em Vitória. Minha Cidade, São Paulo, ano 06, n. 070.02, Vitruvius, maio 2006 <https://vitruvius.com.br/revistas/read/minhacidade/06.070/1948>.


Praia de Camburi, Vitoria ES
Foto Kadidja Fernandes [Prefeitura de Vitória]


Vista geral da urbanização. Perspectivas da urbanização da nova orla de Camburi [PMV/SEDEC/CPU - Prefeitura Municipal de Vitória]

Módulo padrão – Quiosque para venda de pequenos produtos

Multiplace pier 2 – Complexo de entretenimento

 

A orla de Camburi, praia urbana de Vitória ES, receberá novo projeto de urbanização e arquitetura em trecho que abrange 2.600 metros extensão. A orla, estrategicamente localizada, sofre influência direta dos novos rumos de crescimento da cidade, com a modificação das estruturas do entorno imediato, como a ampliação o Aeroporto de Vitória e a remodelação da malha viária lindeira ao projeto. O incremento deste trecho da cidade evidencia a urgência pelo resgate da orla de Camburi como espaço público, de lazer e usos diversificados.

O projeto já passou pelo crivo dos moradores ao ser apresentado previamente na comemoração do aniversário dos 454 anos da cidade. A população teve a oportunidade de opinar sobre os rumos da futura urbanização em pesquisa de opinião pública, com aprovação de 94% dos entrevistados.

O projeto para a nova orla de Camburi teve como partido inicial trabalhar com a diversidade, criando uma urbanização linear que não se repetisse, mas buscasse uma arquitetura que caracterizasse diferentes usos e um urbanismo com variadas possibilidades de estar.

Num primeiro momento de projeto, partiu-se de usos existentes, observações do entorno imediato e intenções: bairros residenciais do entorno, proximidade com novos empreendimentos; usos atuais de edificações na orla e apropriações diversas.

Numa macro escala, em se tratando da proposta urbanística, desenvolveu-se um desenho de calçadão, incorporando duas atividades principais: caminhadas e passeio contemplativo. A intenção do novo calçadão é evitar o conflito dos esportistas, que utilizam a ciclovia e a pista de corrida em nível superior, como o pedestre que passeia tranqüilamente nas bordas junto à areia da praia.

O partido arquitetônico evidencia uma linguagem contemporânea comum a todas as edificações propostas. A utilização de materiais nobres, contraste de texturas e uma geometria contida, ora prismática, fazendo referência à uma implantação que não tivesse fundos – frente e pudesse ser contemplada de diferentes pontos de vista.

As arquiteturas propostas para a orla pretendem potencializar áreas sub-utilizadas e incorporar um novo padrão de quiosques de acordo com a limitação de produtos a serem comercializados. A intenção é criar pequenos módulos para venda de mercadorias industrializadas e lanches rápidos ao longo da praia. Os demais padrões propostos para a orla contemplam dois restaurantes panorâmicos de maior porte, com área para entretenimento para os dois piers que delimitam a área de intervenção e 04 “mix gastronômicos” distribuídos em áreas de concentração previamente identificadas. Estão previstos ainda módulos de orientação ao exercício e de apoio turístico.

A permanência dos usuários é garantida através da criação de plataformas de estar adjacente às edificações, projetadas sobre a areia da praia, com mobiliário urbano apropriado, paisagismo, áreas de mesas cobertas e descobertas e play-groud infantil.

Volumetrias inusitadas trabalham a composição como formas escultóricas, resultando em planos inclinados que destacam cada edificação e criam uma identidade única. A fragmentação do volume aparece como uma novidade no ato projetual, que nasceu a partir de experimentos com a tradicional maquete volumétrica.

O projeto elaborado pela equipe de Projetos Urbanísticos da Secretaria Municipal de Desenvolvimento da Cidade de Vitória (arquitetos Fabrício Sanz Encarnação, Flávia Pulcheri, Flávia Botechia e Liziane Jorge) em estudo preliminar, encontra-se em fase de contratação do projeto executivo e detalhamento.

sobre o autor

Fabrício Sanz Encarnação é arquiteto.

comments

newspaper


© 2000–2022 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided