Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

architectourism ISSN 1982-9930

Vista de São Paulo a partir do edifício Planalto, projetado por João Artacho Jurado. Foto Michel Gorski

abstracts

português
O arquiteto e urbanista Luiz Fernando Cruvinel Teixeira, um dos autores do plano piloto de Palmas, comenta dois encontros com o arquiteto Richard Rogers, recém-falecido.


how to quote

TEIXEIRA, Luiz Fernando Cruvinel. Encontros e reecontros com sir Richard Rogers. Arquiteturismo, São Paulo, ano 15, n. 176.01, Vitruvius, nov. 2021 <https://vitruvius.com.br/revistas/read/arquiteturismo/15.176/8367>.


Luiz Fernando Cruvinel Teixeira e Richard Rogers
Foto Michel Gorski

A arquitetura tem perdido, ultimamente, seus maiores ícones. Particularmente, convivi com dois deles. Aqui em Goiânia com Paulo Mendes da Rocha, como parceiro na elaboração dos projetos do Terminal Rodoviário e na adaptação do estádio Serra Dourada para competir enquanto sede da copa do mundo.

Em Londres, com Richard Rogers, encontros inusitados no hospital Saint Mary Abbot, onde nasceram nossos filhos. Por estar estudando na A.A. School of Architecture, escola que ele também estudou, motivo para conversas memoráveis – atenção: em julho de 1958 ao aplicar para estudar arquitetura na A.A, o entrevistador de Rogers recomendou não o aceitar por não ter aptidão necessária para ser arquiteto, equívoco que poderia privar a arquitetura contemporânea de um de seus maiores expoentes. Era janeiro de 1972, época que ele e Renzo Piano tinham elaborado o projeto do Musée Pompidou – Paris, o Beaubourg, polêmico para o parisiense.

Ao perguntar-lhe sobre a convivência com Renzo a resposta foi a seguinte: “os italianos são muito românticos”. Tempos depois descobri que Rogers havia nascido em Firenze.

Em 2013, fui a uma exposição dele em Londres, quando nos encontramos e lembramos de nossos encontros e conversas. Ao me apresentar ele não agiu como um fleumático inglês ao me abraçar e afirmar, “of course I remember very much”. Sir Richard Rogers, continuava simples e gentil como o conheci meio século atrás. Despedimo-nos deixando em mim a sensação de que aquele momento especial fechava um evento muito especial em minha vida.

A notícia de seu falecimento me pegou de surpresa e me levou a documentar nessas poucas linhas o gentil Richard Rogers que um dia tive o privilégio de conhecer.

nota

1
Richard Rogers, nascido em 23 julho de 1933 em Firenzi, Itália, faleceu no dia 18 de dezembro de 2021. O presente artigo está sendo publicado no número de novembro devido pequeno atraso da edição.

sobre o autor

Luiz Fernando Cruvinel Teixeira é arquiteto e urbanista pela UnB e pós-graduado na Architectural Association School of Architecture – Londres, onde teve contato com Richard Rogers. Trabalhou na Inglaterra e nos Estados Unidos, antes de fixar em Goiânia, onde nasceu. Titular do escritório de arquitetura e urbanismo Grupo Quatro, desenvolveu em 1989, com arquiteto Walfredo Antunes de Oliveira, o Plano Diretor da cidade de Palmas, Capital do recém-criado Estado do Tocantins.

comments

176.01 encontros ocasionais
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

176

176.02 ensaio fotográfico

A fortaleza e o cargueiro

Victor Hugo Mori

176.03 viagem de estudo

Friburgo: entre torres e fortificações

Sergio Ekerman

176.04 ministério do arquiteturismo

Ministério do Arquiteturismo adverte...

Abilio Guerra and Michel Gorski

newspaper


© 2000–2022 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided