Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

projects ISSN 2595-4245


abstracts

how to quote

PORTAL VITRUVIUS. Destilaria Central de Lençóis Paulista. Centro Municipal de Formação Profissional Prefeito Ideval Paccola. Projetos, São Paulo, ano 14, n. 158.01, Vitruvius, fev. 2014 <https://vitruvius.com.br/revistas/read/projetos/14.158/5044>.


Intervir em uma ruína. O desafio principal do projeto proposto pelo Edital nº 37/2013 do Proac da Secretária da Cultura do Governo do Estado de São Paulo é o de restaurar os remanescentes da Destilaria Central de Lençóis Paulista, SP.

Construída às pressas nos anos 1940, a Destilaria tinha como propósito suprir a falta de combustível decorrente da Segunda Guerra Mundial. Suas atividades se encerraram logo após o término da Guerra. No momento do seu tombamento pelo CONDEPHAAT, em 1997, já se encontrava em estado de ruína.

A atual proposta de implantação do “Centro Municipal de Formação Profissional Prefeito Ideval Paccola” nesta área faz parte de importante política de restauro, ratificando sua importância como referência não apenas cultural, mas também urbana.

No conjunto sobressaem a torre de 25 metros de altura - onde se dava a transformação da aguardente – e a chaminé. Os galpões que completavam a área de produção e administrativa estão arruinados. Não há nenhuma cobertura, diversas paredes desabaram por completo e outras apresentam condição precária.

O conjunto de habitações, que fica ao norte do terreno está ocupado por moradores ilegais e apresenta uma condição melhor – provavelmente pelo fato de estar ocupado. A resolução de tombamento não entra em maiores detalhes sobre este conjunto. Resolve que:

“Fica tombado como bem cultural de interesse histórico-arquitetônico a Destilaria Central De Lençóis Paulista, inaugurada a 17 de dezembro de 1943. Construída pelo então Instituto de Açúcar e do Álcool (IAA), a Usina, implantada numa eminência topográfica, compreende conjunto industrial e residencial”.

Portanto entende-se que seu valor está no grupo de residências alinhadas, que completam o conjunto da destilaria. Não há nenhuma referência às tipologias habitacionais ou a seus sistemas construtivos.

O grande lote urbano em que a destilaria está instalada é aberto para a cidade e tem forte potencial para se transformar em um parque urbano. Assim, além das atividades educacionais, o espaço teria uso constante.

A torre e a chaminé são elementos que configuram a paisagem de Lençóis Paulista, principalmente por sua localização e verticalidade da construção. Sua presença é avistada logo no acesso da cidade.

É a partir desta leitura do conjunto que se propõe seu restauro, com o novo programa educacional e de lazer. Restauro compreendido no seu sentido mais amplo. Trata de restaurar o significado do edifício e sua relação com a cidade e seus usuários. Dar um novo uso que seja compatível com as questões contemporâneas. Pretende permitir aos cidadãos usufruir de um espaço carregado de valor simbólico.

O projeto apresentado para o conjunto foi concebido a partir da compreensão de que a implantação dos edifícios tem grande relevância. Assim, se propõe o completamento dos edifícios arruinados. Recupera-se, aproximadamente, sua volumetria com a utilização de novos materiais. A decisão é amparada pelo artigo 6º da Carta de Veneza: “(...) a conservação de um monumento implica a preservação de um esquema em sua escala. Enquanto subsistir, o esquema tradicional será conservado (...)”.

É essencial reforçar a questão da distinguibilidade, também colocada pela mesma Carta: “todo trabalho complementar reconhecido como indispensável por razões estéticas ou técnicas destacar-se-á da composição arquitetônica e deverá ostentar a marca do nosso tempo”. Assim, as ruínas existentes serão consolidadas, mas sua leitura permanecerá evidente. Entende-se não ser possível apagar o processo histórico do conjunto, inclusive o estado ao qual chegou aos dias de hoje, de completo abandono.

Ao consolidar as ruínas pretende-se manter seu aspecto desgastado, sem completamento de argamassa. Será feito processo de consolidação dos tijolos e argamassa a fim de estabilizá-los. Os tijolos receberão tratamento cristalizador, que não comprometem sua aparência. A proposta de recuperar a volumetria original dos galpões se dá, principalmente a partir das marcas da geometria destas coberturas nas alvenarias remanescentes. Trata-se, também, de permitir a compreensão dos espaços internos dos galpões nos quais o programa implantado não compartimenta seus espaços.

Tecnicamente, o completamento das alvenarias será feito com planos executados em concreto aparente. Alvenarias em concreto leve que estão apoiados ora na ruína ora no piso. Desta forma, aliviam a carga nas alvenarias existentes. Estes novos fechamentos em concreto terão previstos furos redondos que permitirão a ventilação dos espaços internos. Desta forma, evita-se a instalação de caixilhos, que poderiam estabelecer uma relação menos harmônica com a preexistência. A fim de evitar sobrecargas nas alvenarias existentes, será projetada estrutura metálica independente para as coberturas e calhas. Será utilizada telha metálica tipo sanduíche, com isolamento termo acústico.

Maquete eletrônica - Centro Municipal de Formação Profissional Prefeito Ideval Paccola

Além desta reconstituição, propõe-se uma nova cobertura entre os dois galpões em aço e vidro garantindo a plena leitura do espaço. Configura-se assim um acolhimento para a escola e cria-se um novo eixo de acesso e circulação do conjunto.

A torre receberá o programa que demanda salas menores dotadas de infraestrtura de informática. Para viabilizar o aproveitamento da sua área interna, optou-se por completar os vazios da lajes dos pavimentos e instalar uma prumada de circulação vertical externa composta por escada e elevador. A escada metálica será aberta e terá piso em gradil eletrofundido e foi projetada toda em balanço, apoiada na caixa do elevador. Desta forma, foi possível criar uma torre de circulação muito leve e transparente e com características fabris. Este novo elemento metálico, instalado na fachada leste da torre, evidenciará a intervenção no conjunto da antiga destilaria.

O conjunto de residências receberá o programa de manicure, depilação, penteado, maquiagem; reparador de eletrodoméstico, administração da escola e dois programas que atendem não só à escola, mas também ao parque: sanitários, vestiários públicos e café. A partir do material entregue e de uma análise preliminar das áreas necessárias para estas atividades, foi feita a distribuição do programa. Entretanto, pelo fato de estarem ocupadas, não foi possível verificar a condição interna destes imóveis e sua eventual ocupação.

Distribuídos por este terreno, ainda pode-se ver os dois grandes tonéis e outro menor, que ruiu. Serão todos mantidos da forma em que estão, como parte do registro da atividade original no novo parque.

Para a realização do restauro da destilaria, é necessário o desenvolvimento de um conjunto de levantamentos, estudos, análises, para confirmação das características físicas do edifício e do terreno. A partir destes levantamentos será possível confirmar o projeto como um todo.

Maquete eletrônica - Centro Municipal de Formação Profissional Prefeito Ideval Paccola

Paisagismo

O projeto de paisagismo para o parque da destilaria foi pensado levando em consideração a situação atual, de ruínas, da destilaria e da necessidade de criar uma integração entre os elementos arquitetônicos e as novas funções que o parque assumirá, incluindo esporte e lazer.

Para que isso ocorra, será criada uma rede de caminhos que fará a ligação entre os diferentes espaços. Elementos vegetais e construídos, existentes na paisagem, serão preservados e servirão de início para todo o desenho paisagístico.

Todo o terreno do parque será coberto por grama e, a partir dos elementos preservados, serão criadas manchas de desenhos irregulares de diferentes materiais como, pedrisco, areia colorida, seixos cerâmicos e raspas de pneus, que servirão para atividades diversas, lúdicas e sensoriais.

Outros elementos vegetais arbustivos, de médio e pequeno portes, serão acrescentados para compor com os elementos arbóreos existentes e preservados no local. Trepadeiras serão utilizadas para cobrir e integrar partes de muros ao desenho do paisagismo. Para atender a necessidade de proteção das quadras de esportes, serão construídos alambrados de alturas irregulares, cobertos por vegetação trepadeira, que formarão elementos escultóricos vivos na paisagem. As espécies vegetais adotadas para compor o paisagismo serão espécies muito resistentes e de pouca manutenção.

ficha técnica

Arquitetura
Anna Helena Villela
Silvio Oksman
Caroline Endo
Karina Kohutek
Liz Arakaki

Estrutura
Yopanan Rebello

Paisagismo
Fernando Limberger

Concurso
Edital nº 37/2013 "Concurso de Projeto para Restauração de Imóveis (Condephaat)" do ProAC – Programa de Ação Cultural da Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo, Módulo 2 - Destilaria Central, Lençóis Paulista – SP

Local
Lençóis Paulista/SP

Ano do concurso
2013

comments

158.01 concurso de restauro Condephaat
abstracts
how to quote

languages

original: português

source

share

158

158.02 concurso

Projetos de baixios de viadutos

158.03 concurso

Sesc Osasco

newspaper


© 2000–2021 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided