Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

architectourism ISSN 1982-9930

Fazenda Vargem Grande, paisagismo de Roberto Burle Marx, José Tabacow e Haruyoshi Ono. Foto Victor Hugo Mori

abstracts

português
José Tabacow, sócio de Roberto Burle Marx por duas décadas, comenta o projeto do jardim externo da Fazenda Vargem Grande, coautoria dos dois e Haruyoshi Ono, filmada com maestria pelo fotografo Pedro Mascaro.


how to quote

TABACOW, José; MASCARO, Pedro. Fazenda Vargem Grande, Areias SP. Sobre a conexão renascentista no paisagismo de Roberto Burle Marx. Arquiteturismo, São Paulo, ano 12, n. 134.01, Vitruvius, maio 2018 <http://vitruvius.com.br/revistas/read/arquiteturismo/12.134/6973>.


Na apresentação de uma exposição de Roberto Burle Marx, Lúcio Costa começa seu texto assim: “Roberto Burle Marx é um caso singular. Em plena era atômica, a pessoa dele e o seu mundo, conquanto falem linguagem contemporânea, confinam com a Renascença” (1).


Fazenda Vargem Grande – jardim Burle Marx, filme de Pedro Mascaro (ampliar para melhor visualização)

Este texto me veio à memória quando, nas várias vezes em que revisei o projeto de paisagismo da Fazenda Vargem Grande (2), fui percebendo uma série de características que, de maneira inequívoca, constituem claras convergências com os jardins italianos do Renascimento. A mais explícita delas é, talvez, a abundância de água que, tanto na Itália quanto aqui, na serra da Bocaina, brotar generosa e abundante, a correr por colinas e encostas. O exemplo mais eloquente é, sem qualquer dúvida, a Villa D’Este, em Tivoli, em que o uso estético-escultural da água, em forma de fontes, cascatas, jatos, espelhos, distribui-se por todas as partes do espaço, mesmo em situações surpreendentes, como descendo pelos corrimãos de algumas escadas ou fazendo soar as notas um órgão, quando entra pelos tubos sonoros e expulsa o ar de seu interior. A composição paisagística de Vargem Grande se desenvolve no antigo terreiro de secagem do café e, em termos de uso da água, conta com cinco espelhos, dezenove cascatas, alguns jatos e duas piscinas.

Villa Aldobrandini, Frascati, Itália
Foto José Tabacow


Villa Aldobrandini, teatro, Frascati, Itália
Foto José Tabacow

Outra característica que nos conecta com o Renascimento é o escalonamento do terreno, vencendo os desníveis naturais das colinas e encostas com terraços que, nos jardins italianos, vão se sucedendo morro abaixo, muitas vezes conectados por cascatas ou planos inclinados, ou ainda muros de arrimo que vão delimitando terraços e funções: teatro ao ar livre, labirintos, jardins segregados (3), espaços para refeições ao ar livre. Estes últimos sugerem a citação, como expressão importante, da Villa Lante, em Bagnaia (nos arredores de Viterbo). Embora água e terraceamento também aqui sejam notáveis, chama a atenção uma enorme mesa de pedra sobre a qual corre, como máximo refinamento, a água corrente de um pequeno córrego, onde os comensais podiam lavar as mãos ou se refrescar molhando o rosto e a cabeça. E, também digna de menção, a catena d’acqua (corrente ou cadeia d’água), destacada escultura em que a água em declive acompanha os degraus de uma escada.

Villa D'Este, caminho das cem fontes, Tivoli, Itália
Foto José Tabacow


Villa D'Este, Fonte de Arethusa, Tivoli, Itália
Foto José Tabacow


Villa D'Este, Fonte do Órgão, Tivoli, Itália
Foto José Tabacow

Há mais alguns aspectos sintônicos que merecem menção: a presença de obras de arte, sempre relacionadas com o traçado do jardim, isto é, buscando os pontos notáveis na geometria da composição. Cito a escultura armada com mós sobrepostas que, antes da intervenção do paisagista, eram apenas uma coleção de pedras do proprietário, sem caráter de arte. Ela está fortemente vinculada a uma ilha redonda, plantada em seu centro, único ponto notável na geometria de um círculo! Sempre evocando os jardins da Renascença, há ainda a presença do grotto, a gruta de onde se originam todas as águas, presente nos dois jardins acima citados. Em Vargem Grande, a água brota da boca do antigo lavador de café, esta fazendo o papel de grotto, cuja nascente vai criar toda a dinâmica do abundante elemento aquático no conjunto daquele jardim.

Villa Gamberaia, Teatro Verde, Firenzi, Itália
Foto José Tabacow

Villa Gamberaia, terraceamento dos níveis, Firenzi, Itália
Foto José Tabacow


Villa Garzoni, primeiro terraço, Collodi, Itália
Foto José Tabacow


Villa Garzoni, terraceamento do terreno, Collodi, Itália
Foto José Tabacow

Roberto Burle Marx nunca me falou de alguma intenção de relacionar o jardim da Fazenda Vargem Grande com a Renascença italiana (4). Ou que esta tenha lhe inspirado no traçado do projeto. Então o que aqui se expõe tem caráter especulativo, hipotético. O que me faz lembrar um filme de John Houston em que, logo no começo, aparece na tela um cartaz dizendo: “Esta história não é real. Mas deveria ter sido” (5).

Villa Lante, catena d'acqua, Bagnaia, Itália
Foto José Tabacow


Villa Lante, grotto, Bagnaia, Itália
Foto José Tabacow


Villa Lante, parterre no terraço inferior, Bagnaia, Itália
Foto José Tabacow


Villa Lante, terraço para refeições ao ar livre, Bagnaia, Itália
Foto José Tabacow

notas

NA - Publicado com o apoio da Istituto Universitario di Architettura di Venezia – IUAV, que, a convite do Professor Renzo Dubbini, recebeu o autor como professor-convidado para estudos e atividades acadêmicas em associação com os professores Barbara Boifava e Matteo Dambros, sobre a temática "A influência europeia na obra de Roberto Burle Marx".

1
MOTTA, Flávio L. Roberto Burle Marx e a nova visão da paisagem. São Paulo, Nobel, 1983.

2
Fazenda Ponte Alta. Projeto de paisagismo de Roberto Burle Marx, José Tabacow e Haruyoshi Ono, 1979.

3
O Giardino Segretto não é, como tem sido traduzido, um “jardim secreto”, no sentido de misterioso ou de escondido. Creio tratar-se de um erro de tradução, pois o verdadeiro sentido é o de um jardim segregado, vedado aos visitantes, para ser usufruído apenas pelo dono da Villa, do palazzo ou residência, e por sua família.

4
Há numerosos exemplos de jardins do Renascimento italiano que se enquadram nas características aqui descritas. Merecem menção a Villa Aldobrandini, em Frascati, a Villa Gamberaia, nas cercanias de Firenze e a Villa Garzoni, em Collodi, além dos dois já mencionados no texto.

5
“Roy Bean, o Homem da Lei” (no original, The Life and Times of Judge Roy Bean).

sobre o autor

José Tabacow é arquiteto (UFRJ, 1968), especialista em ecologia e recursos naturais (UFES, 1991) e doutor em geografia (UFRJ, 2002). Professor de paisagismo em diversas instituições, foi sócio do escritório Burle Marx Cia Ltda (1967-1982). É autor dos livros Arte e paisagem (Nobel, 1987), Árvores (AC&M, 1989) e Rio natureza (Rio Arte/ PMRJ, 1981). Em 2017 recebeu a medalha Mário de Andrade do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan.

comments

134.01 obra paisagística
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

134

134.02 visita de estudo

Amiens: o nascimento, a morte e a ressurreição da restauração

Sciapan Stureika

134.03 exposição

The legendary thrill

Giovanna Rosso Del Brenna

134.04 crônica

Do andaime

Abilio Guerra

134.05 ensaio fotográfico

Angkor Thom

Victor Hugo Mori

newspaper


© 2000–2018 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided