Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

projects ISSN 2595-4245


abstracts

português
O projeto H.O.M.E. foi finalista de um concurso internacional para repensar o “home office” em tipologias habitacionais, provocando uma reflexão sobre a nova vocação dos edifícios comerciais dos centros urbanos pós-pandemia.

english
El proyecto H.O.M.E. fue finalista en un concurso internacional para repensar el “home office” en tipologías de vivienda, lo que propició una reflexión sobre la nueva vocación de los edificios comerciales en los centros urbanos pospandémicos.

español
H.O.M.E. was a finalista proposal in an international competition to rethink the “home office” in housing typologies, provoking a reflection on the new role of commercial buildings in post-pandemic urban centers.

how to quote

PORTAL VITRUVIUS. H.O.M.E. — Housing and Office Modular Environment. Viva-onde-você-trabalha-onde-você-vive. Projetos, São Paulo, ano 21, n. 246.02, Vitruvius, jun. 2021 <https://vitruvius.com.br/revistas/read/projetos/21.246/8359>.


Os edifícios de escritório, símbolos da metrópole moderna do século 20, se apresentam como uma herança quase obsoleta diante da voracidade de um inimigo oculto que nos obriga a buscar refúgio em nossas casas. Os distritos financeiros, os grandes centros comerciais com seus arranha-céus de vidro, estão pálidos, irreconhecíveis sem o único elemento que lhes dá significado: as pessoas.

Mesmo após a retomada das atividades e de uma certa estabilidade, sabemos que nossas relações de trabalho sofrerão mudanças profundas que impactarão diretamente na demanda por espaços de escritório. Com mais pessoas trabalhando remotamente, há uma tendência de que os edifícios comerciais percam uma parcela de sua relevância, fazendo com que algumas empresas reduzam a necessidade de área para acomodar os seus funcionários.

Diante disso, qual será o futuro dos edifícios de escritório nos centros urbanos?

Nossa proposta conceitual procura imaginar novas tipologias e como podemos repensar nossas cidades no mundo pós-pandemia transformando radicalmente os edifícios de escritório convencionais.

A ideia é intensificar o uso misto, promovendo uma simbiose direta entre a habitação e o escritório.

Dentro da lógica do mercado imobiliário, encontramos basicamente duas tipologias de pavimentos comerciais nas cidades, conhecidos no meio pelos jargões “torre office” e “torre corporate”. Ao analisar esses tipos, identificamos no pavimento tipo “office” uma linearidade e proporção propícios à transformação para o uso habitacional, considerando também as compartimentações em pequenas unidades e a presença de ambientes sanitários e prumadas espalhados pelo pavimento, facilitando sua futura conversão.

Já na tipologia “corporate”, as grandes lajes possuem profundidades desfavoráveis para uma ocupação com ambientes residenciais, fadados ao enclausuramento, e geralmente possuem as prumadas concentradas ao redor do núcleo rígido. Por consequência, a conversão dessa tipologia se torna um pouco mais desafiadora.

Já os empreendimentos de uso misto, quando explorados pelas incorporadoras brasileiras, geralmente seguem dois modelos: o uso misto em torres separadas dentro de um mesmo lote ou condomínio com incorporação única ou não; ou o uso misto em corte, concentrando a atividade comercial geralmente nos primeiros pavimentos ou chamado embasamento e as tipologias residenciais nos andares superiores da torre.

A proposta aqui ilustrada provoca uma nova hipótese ao propor o uso misto intercalado em corte, alternando pavimentos residenciais com alguns andares de acesso exclusivamente aos escritórios.

Utilizamos como exemplo o edifício onde mantemos o nosso próprio escritório na Avenida Brigadeiro Faria Lima em São Paulo, reconhecido eixo de serviços e sedes de empresas da cidade, com predominância de edifícios comerciais.

H.O.M.E. — Housing and Office Modular Environment, diagrama de situação urbana na avenida Faria Lima, São Paulo, 2020. Arquitetos Ricardo Gonçalves, Matheus Marques, Rolando Figueiredo e Luisa Favilla / Hiperstudio
Imagem divulgação [Hiperstudio]

Mesmo antes da epidemia, a monofunção já era considerada um conceito obsoleto para as cidades contemporâneas por não promover a flexibilidade de usos e atividades ao longo de todo o período diário em uma mesma vizinhança.

Durante o dia a avenida é testemunha da congestão urbana, porém a noite e nos finais de semana sofre com o esvaziamento e a falta de dinamismo econômico.

Na tentativa de dar novo significado a essa tipologia, seriam mantidos alguns pavimentos de escritórios intercalados com novos andares residenciais.

A partir disso, criamos um sistema de encaixe de diferentes tipos de apartamento que se conectam verticalmente a pelo menos um módulo de escritório.

Alguns vazios resultantes dessa operação seriam saudáveis para configurar pequenos espaços de convívio e descompressão sem risco de aglomerações.

Os moradores garantem assim um espaço de trabalho adequado, livre das interferências domésticas, mas com ligação direta ao lar.

Em contrapartida, os escritórios podem permanecer funcionando com acesso independente em seus pavimentos exclusivos, mantendo uma atmosfera adequada às relações profissionais com eventuais clientes e pequenas equipes externas.

H.O.M.E. — Housing and Office Modular Environment, proposta para ocupação das coberturas em espaços coletivos, São Paulo, 2020. Arquitetos Ricardo Gonçalves, Matheus Marques, Rolando Figueiredo e Luisa Favilla / Hiperstudio
Imagem divulgação [Hiperstudio]

Desse modo, atingimos uma tipologia híbrida com nível de proximidade ideal entre casa e trabalho.

Na cobertura desses edifícios seria essencial a criação de uma área verde de convivência e lazer para suprir nossa necessidade de contato com o ambiente externo, uma commodity preciosa e rara para todos que se nausearam com a artificialidade do espaço compartimentado dos apartamentos atuais durante o isolamento.

Esse novo conceito de uso misto poderia ser uma alternativa para gerar mais dinamismo em outras regiões com predominância de edifícios exclusivamente comerciais, como o Centro e avenida Paulista.

Poderia servir também como modelo para novos lançamentos residenciais de alto padrão cujos usuários são adeptos da prática de home office e necessitam de mais privacidade.

A inserção da tipologia habitacional diretamente conectada com unidades de escritório garantiria uma cidade mais compacta e densa, diminuindo os deslocamentos e o esvaziamento dessas áreas após o horário comercial.

H.O.M.E. — Housing and Office Modular Environment, isométrica conceitual das tipologias mistas: habitação + escritório, São Paulo, 2020. Arquitetos Ricardo Gonçalves, Matheus Marques, Rolando Figueiredo e Luisa Favilla / Hiperstudio
Imagem divulgação [Hiperstudio]

ficha técnica

projeto
H.O.M.E. Viva-onde-você-trabalha-onde-você-vive

arquitetura
Ricardo Gonçalves, Matheus Marques, Rolando Figueiredo e Luisa Favilla / Hiperstudio

local
São Paulo SP

ano
2020

premiação
Finalista para concurso de ideias internacional promovido pelo portal mOOO, mai. 2020

preâmbulo

O presente artigo faz parte de Preâmbulo, chamada aberta proposta pelo IABsp e portal Vitruvius como ação para alavancar a discussão em torno da 13ª edição da Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo, prevista para 2022. As colaborações para as revistas Arquitextos, Entrevista, Minha Cidade, Arquiteturismo, Resenhas Online e para a seção Rabiscos devem abordar o tema geral da bienal – a “Reconstrução” – e seus cinco eixos temáticos: democracia, corpos, memória, informação e ecologia. O conjunto de colaborações formará a Biblioteca Preâmbulo, a ser disponibilizada no portal Vitruvius. A equipe responsável pelo Preâmbulo é formada por Sabrina Fontenelle, Mariana Wilderom, Danilo Hideki e Karina Silva (IABsp); Abilio Guerra, Jennifer Cabral e Rafael Migliatti (portal Vitruvius).

comments

246.02 13ª Bienal + Vitruvius (Preâmbulo)
abstracts
how to quote

languages

original: português

source

share

246

246.01 13ª Bienal + Vitruvius (Preâmbulo)

Nada será como antes

246.03 13ª Bienal + Vitruvius (Preâmbulo)

Habitação social na Amazônia

246.04 13ª Bienal + Vitruvius (Preâmbulo)

Casa Vênus

246.05 13ª Bienal + Vitruvius (Preâmbulo)

Pontos urbanos

newspaper


© 2000–2022 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided