Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
O artigo de Denise Araújo fala sobre a necessidade de relação entre as obras arquitetônicas de forma equilibrada com o meio ambiente, projetadas sob medida para as exigências do homem e da natureza.

how to quote

AZEVEDO, Denise Araújo. Prêmio Internacional de Arquitetura Sustentável Fassa Bortolo completa onze anos de idade. Drops, São Paulo, ano 15, n. 093.06, Vitruvius, jun. 2015 <https://vitruvius.com.br/revistas/read/drops/15.093/5583>.


O Prêmio Internacional Arquitetura Sustentável, após dez anos, em 2014, atinge a sua décima primeira edição com uma evolução que transforma a relevância da Sustentabilidade. Esta visão, como é conhecida, atualmente extremamente diferente daquela de 10 anos atrás. Conta com a introdução de novas "Key words" como parte integrante do cenário da sustentabilidade, como "low-tech", "baixo orçamento", "vernáculo" e "localizado".

A iniciativa tem apresentado um crescimento exponencial, os primeiros anos, o número de participantes era limitado mas com projetos de qualidade notável, comprometidos com uma da comunidade de estudiosos mundial este tipo de atenção tornou-se mais e mais substancial, mesmo por um ponto quantitativo. Mais de 130 escritórios de arquitetura de países muito distantes do se inscreveram nesta última edição: a partir de Coreia do Sul, o Brasil, dos EUA à República Tcheca, da Escócia, Cingapura, Chile e muitos outros. A internacionalização do grande prêmio também envolveu membros de um mesmo júri avaliador, que têm seguido arquitetos, professores e engenheiros do maior valor. Estes criaram uma comunidade que é ativa ate este momento e continuara nos próximos eventos, com a ajuda de contribuições de ideias relacionadas com a divulgação cultural da Arquitetura Sustentável. Esta comunidade inclui os nomes : Thomas Herzog, Francisco Mangado,Francine Houben, Françoise Hélène Jourda,  Michael Hopkins, JuhaniPallasmaa, Alexandros Tombazis, Wilfried Wang, Hermann Kaufmann,Matteo Thun, Luigi Prestinenza Puglisi, Brian Ford, Mario Cucinella.

A causa do grande afluxo de inscrições o prêmio prêmio foi dividido em duas seções temporalmente diferentes que alternam a cada dois anos: a cessão que avalia a Tese, Mestrado e Doutorado do território italiano, que teve a primeira edição em 2014 e será repetido em 2016, e esta edição aberta ao mundo que será repetida em 2017 continuara a contar a participação de estudiosos e profissionais de arquitetura e engenharia de todo o mundo. Os jurados são sempre de diversas origens culturais, provenientes de lugares, ou até mesmo zonas climáticas, muito diferentes, meramente para garantir a maior variedade factível de experiências com o propósito de uma seleção justa.

O Prêmio nestes últimos onze anos envolveu quase 1000 profissionais participantes de mais de 30 países dos 5 continentes enquanto as comissões julgadoras foram compostas de membros de fama internacional.

Ė a primeira vez, nesta edição de 2015, que o prêmio foi divulgado no Brasil de uma forma sistemática através da expedição de convites aos órgãos de arquitetura ( IAB, CAU de todos os estados, AsBEA, IABR, IAB seções estaduais, diversas universidades, revistas eletrônicas de arquitetura, empresas que atuam no setor e vários escritórios de arquitetura CAUBR e os seus diversos escritórios estaduais. A adesão, a inscrição e entrega de projetos. de arquitetos brasileiros foi de 6 grupos e se espera que nos próximos anos aumente exponencialmente.

A diversidade das contribuições, que nas últimas edições, puderam contar com a presença de profissionais originários de todos os continentes, destaca muito nitidamente uma caraterística: as soluções oferecidas, refletem uma nova tarefa, uma abordagem individual nascida por seus contextos, uma abordagem que, na sua forma, é muito diferente do "estilo internacional".

Propriedades duráveis ligadas à sua localização geográfica, topografia, meio ambiente e ao clima local podem mostrar abordagens heterogêneas em termos de gestão de energia em relação à iluminação natural, proteção ao superaquecimento, ambiente de geração de energia para a produção de eletricidade, aquecimento e de condicionamento.

Isso reflete o desenvolvimento de um novo regionalismo arquitetônico através das várias soluções que vêm no uso da razão, do conhecimento, das experiências em “design” e do potencial criativo dos autores.

O prêmio é aberto a obras de recente construção, reformas e ou ampliação de edifícios, as intervenções nas paisagem e qualquer outro campo de concepção que tenha um significado específico em termos de sustentabilidade.

Os pedidos de atribuição podem ser apresentados por profissionais individuais ou escritórios de arquitetura ou engenharia; cada candidato ou grupo poderá participar com apenas um projeto construído. O trabalho deve ter sido projetado, executado e concluído nos últimos cinco anos.

O júri, caso avalie como necessário, poderá acrescentar premiar às obras merecedoras de menção honrosa. Os premiados receberão viagem para a ocasião da cerimônia de premiação.

Os vencedores da 11ª edição

Os resultados ja são divulgados através do site oficial do Prémio e da empresa Fassa SpA, bem como, da imprensa especializada.

A premiação dos vencedores acontecera no dia 09 de julho de 2015, na sede do Departamento de Arquitetura da Universidade de Ferrara, os vencedores do prémio poderão tomar conhecimentos dos projetos que, nesta evolução do termo "sustentabilidade", foram capazes de "integrar de forma adequada às condições o ambiente, proporcionando respostas ideais para as necessidades da vida dos usuários. É uma arquitetura que pode ser definida "apropriada", porque nasceu do total conhecimento dos lugares, do estudo e da compreensão de como eles funcionam e que respeitam a cultura local ", escreve Thomas Herzog, presidente do júri. Os outros membros da comissão de avaliação nesta edição foram Philippe Samyn (Bruxelas, Bélgica), Muck Petzet (Mendrisio, Suíça), Gianluca Frediani e Luca Emanueli (Universidade de Ferrara).

Nesta edição como vencedores são projetos que representam três presenças da "nova evolução" do pensamento sustentável: foi premiado com a medalha de ouro o escritorio Suponha Office Design de Hiroshima e Tóquio Makoto Tanijiri e Ai Yoshida porta, Onomichi U2, se trata de um projeto de reutilização de um edifício industrial, uma reinterpretação de um tipo que o espaço que é muito comum na região, repudiando-o as necessidades do tecido circundante que estão reunidas em um espaço inovador que compartilha e não os coloca em contraste,  com uma utilização muito limitada de um espaÇo  de terra, em uma área que necessita manter a quantidade de espaços verdes preciosos ao seu contexto, seu entormo.

As duas medalhas de prata, no mesmo nivel. empatadas, foram respectivamente designadas a ASF ONG italiana (Arquitectos Sem Fronteiras) com o projeto de uma nova escola no Camboja, e A nova escola no Camboja, efetuada com o uso de tecnologias e materiais tradicionais locais, entretanto, requer a interpretação da composição de quem faz uso de conhecimentos de Arquitetura Sustentável, como o cálculo de fluxos e modelos de movimento de ar , por exemplo, para Estudos Solares propiciando uma ordenada sol / sombreamento das salas de aula durante os dias mais quentes.

No território italiano, em uma situação congestionada como a da cidade de Ragusa, Warriors-Giampiccolo encontrou uma solução para um edifício residencial atraves de uma ótima relação com o existente, mas consegue, em uma zona tombada (prtotegida) do ambiente, ser totalmente auto suficiente e ambientalmente sustentável, utilizando know-how da arquitura vernacular local.

As menções honrosas foram concedidas a projetos de alto perfil provenientes: do Quênia, do Chile, da República Tcheca, do Sudão, da Bélgica e da Itália. os arquitetos Guerreiros-Giampiccolo com uma remodelação de um edifício antigo na Sicília.

Denise Araújo Azevedo é arquiteta PhD em Tecnologia da Arquitetura, e membro do DIAPReM Center, do Departamento de Arquitetura da Universidade de Ferrara.

Medalha de ouro - Onomichi U2, Suponha Office Design Co., Ltd.
Foto divulgação

Medalha de prata - Escola secundária na aldeia de Roong, Camboja, ASF - Arquitetos italianos ONG Sem Fronteiras
Foto divulgação

Medalha de prata - Escola secundária na aldeia de Roong, Camboja, ASF - Arquitetos italianos ONG Sem Fronteiras
Foto divulgação

Medalha de prata - CASA DCS - Reutilização e renovação de um edifício na Sicília, Joseph Gurrieri, Valentina Giampiccolo
Foto divulgação

Medalha de prata - CASA DCS - Reutilização e renovação de um edifício na Sicília, Joseph Gurrieri, Valentina Giampiccolo
Foto divulgação

 

comments

newspaper


© 2000–2022 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided