Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
Gabriela Celani apresenta suas observações sobre a 23ª conferência do eCAADe – Education and Research in Computer-aided Architectural Design in Europe

english
Gabriela Celani presents her observations on the 23th Conference of eCAADe - Education and Research in Computer-Aided Architectural Design in Europe

español
Gabriela Celani presenta sus observaciones sobre la 23º conferencia del eCAADe -Education and Research in Computer-aided Architectural Design in Europe

how to quote

CELANI, Gabriela. eCAADe'23. A busca de novos paradigmas para a geração da forma arquitetônica assistida pelo computador. Drops, São Paulo, ano 06, n. 013.06, Vitruvius, dez. 2005 <https://vitruvius.com.br/revistas/read/drops/06.013/1670>.


A eCAADe, Education and Research in Computer-aided Architectural Design in Europe (http://www.ecaade.org), é uma associação sem fins lucrativos que promove anualmente uma conferência sobre o uso da computação em pesquisa e ensino para a arquitetura e profissões correlatas. Essa associação faz parte de uma família de associações internacionais voltadas para a área de informática aplicada à arquitetura, que inclui a CAADFutures (Computer Aided Architectural Design, Europa), a ACADIA (Association for Computer-aided Design in Architecture, América do Norte), a CAADRIA (Association for Computer-aided Architectural Design in Asia, Asia), a ASCAAD (Arab Society for Computer-aided Architectural Design, países árabes) e a SIGRADI (Sociedad Iberoamericana de Gráfica Digital, América Latina).

Essas associações começaram a surgir no início dos anos 80, precisamente quando surgia uma segunda geração de computadores pessoais, suficientemente potentes para permitir o uso de programas de CAAD e suficientemente acessíveis para serem adquiridos por escritórios de arquitetura de porte médio e pequeno. Ao mesmo tempo, uma nova geração de programas de CAAD também surgia, voltada para os grandes mercados. Além disso, a partir desse período os recursos informatizados começaram a fazer parte dos currículos de arquitetura.

Segundo o comitê organizador da vigésima terceira edição do eCAADe, ocorrida entre 21 e 23 de setembro de 2005 no Instituto Superior Técnico de Lisboa, Portugal, os últimos 30 anos de desenvolvimento do campo do projeto arquitetônico assistido por computador (CAAD) podem ser divididos em cinco momentos principais. O primeiro momento foi marcado pelo desenvolvimento de ferramentas coputacionais que procuravam mimetizar o processo tradicional de desenho, baseado na prancheta, com preocupações inclusive com os aspectos ergonômicos da adaptação do arquiteto ao novo meio de representação gráfica. Em um segundo momento, o interesse maior passou a ser o uso de ferramentas computacionais não gráficas como apoio ao processo de projeto, como bancos de dados e outras formas de aquisição, organização, recuperação e processamento da informação. O terceiro estágio, ocorrido precisamente em um momento em que houve um grande salto na tecnologia da informação, com um grande aumento memória e capacidade de processamento dos computadores, testemunhou a volta à preocupação com aspectos gráficos, desta vez mais precisamente com a representação de modelos tridimensionais do edifício. O quarto estágio corresponde a um ponto de inflexão, em que chegou a ser discutida a viabilidade da completa automação do processo de projeto, auxiliada por técnicas de inteligência artificial, em oposição ao desenvolvimento de ferramentas de suporte ao projeto. O quinto e último estágio foi dominado pelas discussões sobre o papel da Internet no processo de projeto e a necessidade de desenvolvimento de ferramentas de projeto que tirassem partido das tecnologias de comunicação.

Mais recentemente, tem havido um grande interesse nas conseqüências formais do uso das novas mídias, que incluem não mais apenas o software, mas também toda uma nova geração de máquinas de controle numérico. Os equipamentos de prototipagem rápida permitem a produção de maquetes e protótipos a partir de modelos digitais tridimensionais, eliminando a etapa intermediária de projeções ortogonais e as dificuldades técnicas anteriores, viabilizando a produção de formas nunca antes executadas. A vigésima primeira conferência, por exemplo, ocorrida em Graz em 2003, tinha como tema o Digital Design, e incluía sessões com os temas "Generative Design" e "Shape Grammars and Case-based Reasoning". Segundo seus organizadores, o impacto das ferramentas computacionais nas etapas inicias do processo de projeto era ainda pequeno, sendo necessário desenvolver novas aplicações, além de repensar o currículo das escolas de arquitetura no que ser refere à inserção do CAAD na formação dos alunos.

Juntamente com esse interesse pelo processo de produção, continuam a ser discutidos em congressos como o eCAADe novos paradigmas para a geração de formas arquitetônicas que possam tirar maior proveito dos recursos de hardware e software disponíveis (daí o título da última conferência, "Digital design: The Quest for New Paradigms"). Os principais exemplos desses paradigmas são o projeto paramétrico e os sistemas generativos de projeto, que utilizam técnicas como a gramática da forma (shape grammar) e os algoritmos genéticos.

IST

O eCAADe 2005 foi hospedado pelo Instituto Superior Técnico, que faz parte da Universidade Técnica de Lisboa, e organizado por José Pinto Duarte, Ph.D. em Design and Computation pelo MIT e chefe da Secção de Arquitectura da Faculdade de Engenharia Civil do Insituto. Essa faculdade criou, em 1998, um novo curso de arquitetura com ênfase na formação técnica de seus alunos. Dentre as matérias que compõem o curso há, por exemplo, a disciplina "Projeto Assistido por Computador III: Projecto e Produção por Métodos Computacionais", em que os alunos desenvolvem projetos de elementos construtivos com o apoio de equipamentos de prototipagem rápida, como impressoras 3D e cortadoras a laser (Fig.1).

Além de José Duarte, fizeram parte do comitê organizador os professores Luisa Caldas, Teresa Heitor e Zita Sampaio.

GenerativeComponents

O congresso eCAADe 2005 foi precedido por um workshop de 20hs. promovido pela Bentley sobre o novo programa GenerativeComponents, do qual participaram cerca de 10 arquitetos de diferentes nacionalidades. Trata-se de um novo módulo do programa MicroStation que permite o desenho de modelos tridimensionais paramétricos e associativos. O programa encontra-se ainda em fase de desenvolvimento (versão pré-Beta), mas já está vem sendo utilizado experimentalmente por escritórios como Foster and Partners, Ghery and Partners, Morphosis, KPF, Arup, Grimshaw, e GLform.

Segundo Robert Aish, diretor de pesquisas da Bentley e responsável pelos programas pilotos do GenerativoComponents nesses escritórios, o conceito de projeto paramétrico se aplica às quatro etapas do projeto arquitetônico: a fase de concepção e exploração tridimensional da forma, o desenvolvimento de componentes inteligentes que deverão se adaptar a diferentes situações no edifício (Fig.2), o controle da produção desses componentes por meio de processos automatizados (prototipagem rápida), e finalmente a extração de desenhos convencionais (bidimensionais) do modelo tridimensional, para documentação da obra. O uso de um software paramétrico permite a atualização automática desses documentos toda vez que o modelo tridimensional ou algum de seus componentes é modificado.

O programa GenerativeComponents permite ao arquiteto tornar explícitas suas intenções de projeto, e não apenas sua volumetria. Uma linha, por exemplo, pode ser definida em função de suas relações topológicas com outras entidades do desenho, e não simplesmente por suas coordenadas absolutas. Deste modo, pode-se definir uma linha como tendo início no centro do cubo A e terminando no centro da esfera B. Quando o cubo A a esfera B sofrem modificações, a linha os acompanha, mantendo intacta a relação espacial com esses elementos. Isto permite que o arquiteto explore diferentes alternativas de projeto com nível aprofundado de detalhamento sem a necessidade de reconstrução completa do modelo tridimensional.

Apesar de já existirem no mercado outros programas de CAAD paramétricos, o GenerativeComponents se diferencia desses programas por incorporar também o conceito de algorithmic design (projeto algorítmico). O programa captura as propriedades e comportamentos definidas pelo usuário para os objetos no próprio espaço gráfico, sem a necessidade de se definir essas características apenas simbolicamente.

Contudo, minha opinião a respeito do programa é que ele só será utilizado eficientemente por arquitetos que possuam algum conhecimento de programação de computadores, ainda que apenas de conceitos básicos como declarações condicionais e processo recursivos. Com esses conceitos é possível adicionar pequenos scripts à formas, que permitem a definição de comportamentos nos componentes criados. Com o uso de uma declaração condicional, por exemplo, linha do caso acima poderia ter como ponto inicial não mais simplesmente o centro do cubo A, mas o centro do cubo A, caso o cubo A possua dimensão maior que x; caso contrário, seu ponte inicial será automaticamente definido como sendo o centro do cubo B.

A necessidade de conhecimento de conceitos da área de computação para o uso adequado dessa nova geração de software de CAAD induz necessariamente à redefinição das competências exigidas do arquiteto do século XXI, bem como à discussão sobre a necessidade de atualização dos currículo dos cursos de arquitetura.

Key-note speakers

A conferência de Lisboa teve como principal key-note speaker William Mitchell, professor do Massachusetts Institute of Technology (MIT) e autor de mais de uma dezena de livros, como The City of Bits, E-topia e Me++:The Cyborg Self and I. Na abertura do congresso, Mitchell apresentou os resultados parciais de uma pesquisa que desenvolve no Media Lab sobre carros urbanos intitulada " Smart City Cars in the 21st Century". Nesse trabalho, um grupo de alunos de pós-graduação do MIT, assessorados por Frank Ghery e financiados pela General Motors, desenvolveu um novo conceito em carros urbanos. Os novos veículos possuem pequenos motores elétricos embutidos nas rodas, além de controle remoto para auxiliar o estacionamentos em vagas apertadas. Alguns exemplares são empilháveis, e têm como objetivo economizar espaço em cidades altamente congestionadas. A GM pretende produzir um protótipo de um dos modelos desenvolvidos já no ano que vem.

Considerado um dos pioneiros do CAAD, Mitchell só lamentou a recente polêmica envolvendo seu projeto de pesquisa, quando colegas do MIT questionaram o desenvolvimento de automóveis por um professor de arquitetura. Segundo ele, sua resposta a esses críticos foi simplesmente "I don't care" (não me importa). Segundo ele, os campos do design e da arquitetura tendem a se aproximar cada vez mais, principalmente quando o objeto a ser desenhado é peça tão importante do cenário urbano, como os carros desenvolvidos no Media Lab.

No segundo dia da conferência, John Peponis, do Georgia Tech, proferiu palestra sobre o tema "Percepção Espacial". Peponis, que já trabalhou Bill Hillier, autor da teoria de percepção do espaço urbano conhecida como Space Syntax, apresentou um programa desenvolvido por seu grupo de pesquisa intitulado Space Syntax Analyst. O programa analisa questões relativas à centralidade da informação, campo de visão e visibilidade cruzada em um espaço dado. Suas aplicações vão desde o espaço de um museu ou galeria de arte até uma área urbana. Segundo o professor, Norman Foster utilizou sua técnica no desenvolvimento do projeto para King's Cross, em Londres.

O programa Space Syntax Analyst é um bom exemplo da tendência atual de desenvolvimento do CAAD. Ao invés de simplesmente servir como prancheta eletrônica ou de automatizar procedimentos de desenho, aplicativos como o apresentado por Peponis facilitam a aplicação prática de questões teóricas sobre o processo de projeto. Ao contrário da maioria dos programas comerciais, essas aplicações destinam-se a auxiliar o arquiteto desde o momento inicial da concepção do projeto.

O último dia do eCAADe teve como conferencista Antonio Câmara, da YDreams, que falou sobre Space and Pervasive Computing. Segundo ele, em alguns anos o computador desktop irá desaparecer totalmente, enquanto aparelhos que carregamos junto ao corpo, como os palmtops, pocket PC's, GPS's e celulares se tornarão cada vez mais complexos. Paralelamente, um sistema de etiquetas de transmissão de sinais de rádio coladas em objetos ou costuradas em roupas, monitoradas por sensores instalados em pontos estratégicos de edifícios e espaços urbanos, formarão uma rede de informações que obrigará arquitetos e engenheiros a repensarem a necessidade de limites físicos no espaço construído.

Próxima conferência

A próxima conferência eCAADe acontecerá em Volos, na Grécia, e será organizada pela Universidade de Thessaly. Maiores informações e o calendário de recebimento de propostas de trabalhos podem ser encontradas no site http://www.arch.uth.gr/ecaade06/.

sobre o autor

Gabriela Celani é arquiteta (1989) e mestre (1997) pela FAU-USP e Ph.D. em Design and Computation pelo MIT (2002). É professora da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC) da UNICAMP, onde também é coordenadora associada do curso de Arquitetura e Urbanismo, e é autora do livro CAD Criativo (Editora Campus-Elsevier, 2003), que introduz conceitos do computational design implementados sob a forma de programas em VBA para AutoCAD. Gabriela Celani é ainda membro do comitê científico internacional do SIGRADI. Sua participação no eCCADe foi patrocinada pela FAPESP e pela FAEPEX-UNICAMP.

Gabriela Celani, São Paulo SP Brasil

Soft_Car, The MIT Smart Cities research team's car. MIT Department of Architecture

À esquerda, telhas cerâmicas projetadas com o auxílio de CAAD; à direita, protótipos produzidos em impressora 3D

Tela do GenerativeComponents mostrando cobertura de forma orgânica composta por componentes inteligentes. O modelo genérico do componente pode ser visto no canto inferior esquerdo da tela principal. A tela no canto inferior esquerdo mostra o modelo simból

The MIT Smart Cities research team's car.
Imagem: Franco Vairani/MIT Department of Architecture

 

comments

newspaper


© 2000–2021 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided