Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
João Suplicy presta uma homenagem ao arquiteto Oscar Niemeyer através do elogio às características de suas diversas obras construídas, principalmente no que diz respeito à implantação e à forma - edifícios que assumen status de "marco urbano"

english
Joao Suplicy pays tribute to the architect Oscar Niemeyer praising the characteristics of its various construction works, especially with regard to implantation and form - buildings that are assumed as status of "urban landmark"

español
João Suplicy presta un homenaje al arquitecto Oscar Niemeyer a través del elogio a las características de sus diversas obras construidas, principalmente en relación a la implantación y a la forma- edificios que asumen status de "marco urbano"

how to quote

SUPLICY, João. Oscar Niemeyer. 100 anos de prática e magia na arquitetura. Drops, São Paulo, ano 08, n. 021.07, Vitruvius, mar. 2008 <https://vitruvius.com.br/revistas/read/drops/08.021/1743>.


Congresso Nacional em Brasília DF
Foto Nelson Kon


Nascido no Rio de Janeiro em 15 de dezembro de 1907 e diplomado em 1935 pela Escola Nacional de Belas Artes, Oscar Niemeyer apreende com os ensinamentos de Rodrigo de Melo Franco Andrade e Lúcio Costa, o devido cuidado à história e ao patrimônio edificado; do convívio com o franco-suíço Le Corbusier, “epicentro” do pensamento moderno, Oscar, como gosta de ser chamado, incorpora consistência funcional no que cria e aplica comedimento na composição dos projetos a que se dedica e desde suas incursões iniciais, insere propostas com resoluções de leitura própria e toques de inovação, é o que demonstra com o brise-soleil vertical móvel, na obra do berço, a escala do espaço pilotis no Ministério da Educação e a interatividade na implantação do Pavilhão de Nova York.

Fatos que embasam sua obra e o levam a se tornar o partícipe principal da implantação da arquitetura moderna no Brasil.

Niemeyer se inquieta com o viés cartesiano da arquitetura racional e já em suas primeiras intervenções demonstra que estabeleceria caminho próprio, insere liberdade formal e surpreende a arquitetura internacional a partir de inovações, como as do complexo da Pampulha da década de 1940, o que vem a se tornar característica na notória produção de sua extensa obra.

Oscar apresenta originalidade inesperada em seus projetos, que embasados por concepção estrutural apurada, de instigantes espacialidades e escala, geram formas delineadas pela sensualidade do desenho e faz com que suas obras, freqüentemente referenciadas por conexões do imaginário coletivo, seja advindas do barroco mineiro, das montanhas ou das formas femininas, de releituras da antiguidade ou de si próprio, ou mesmo de inclinações surreais, se instalem com a força de símbolo e assumam o potencial de ícone urbano.

A cúpula com arcos reversos da Catedral, a colunata do Palácio do Alvorada, as meias esferas equilibradas pelas torres do Congresso Nacional, nos remetem a Brasília, O Edifico Copan e a Marquise do Ibirapuera a São Paulo, o Mac no Rio a Niterói, o Museu Oscar Niemeyer a Curitiba, são imagens de obras que referenciam o lugar onde se instalam, edifícios que assumem o status de “marco urbano”, elementos urbanos carregados de conteúdo simbólico, que como quer Kevin Lynch, são peças essenciais à orientação urbana e à imagem e identidade da cidade.

Oscar Niemeyer é autor de vasta obra, que vai do design de mobiliário à escultura, e com a síntese da linha orgânica de seu desenho, culmina na arquitetura, da casa mínima à grande obra, que se estende aos complexos urbanos.

Através de seu talento e intelectualidade, Niemeyer implanta cultura aos espaços que intervém, suas obras atingem refinada depuração e postam identidade de genius loci no contexto em que se implantam.

É conhecida a afirmativa de que Niemeyer não considera finalizada a obra, enquanto não a explica pela lógica intelectual, com isso nos ensina, que suas obras vem de uma atenção aprofundada da complexidade da arquitetura, consciente do espaço em que se instala, da estrutura que a estabiliza, da espacialidade de seu uso e da competência de sua estética.

Com a simplicidade de um sábio, Niemeyer traz em sua vivência centenária, a lucidez de um jovem e cuidado com a vida, na persistência altruísta em chamar atenção às mazelas sociais.

Oscar trabalha diariamente em seu atelier, iluminado pelas janelas da baia de Guanabara e as montanhas do Rio de Janeiro, que unidas à admiração pelas formas do corpo feminino e monitoradas pelo seu talento, suprem de graça e leveza as criações do gênio.

Atento aos acontecimentos e conhecimentos gerais, Oscar ainda se permite ao estudo da filosofia e transita de questões existenciais ao universo da cosmologia.

Para se entender a importância do arquiteto Oscar Niemeyer deve-se atentar à coerência de seu percurso, que se instala com linha evolutiva constante, acompanhada de provocações formais, que podem instalar estranheza ou paixão, mas não poupam os sentidos de quem as vivencia.

Sua obra apresenta oportunidade pela identidade que conquista, pelo potencial formal e a interlocução espacial que assume perante o observador.

Oscar não deixa escola fácil de ser seguida, uma obra para se referenciar na sua, há que ser entendida num contexto de prospecção maior do que ela própria, sua lógica criativa é composta da atenção ao conhecimento e história humana, à técnica construtiva e percepção espacial, ao contraponto entre forma e vazio, do edifico e de seu entorno, com apuração do sentido estético, acompanhado de intuição, lançados pela perspicácia de seu talento que se finaliza como magia.

Atenção à matéria que remete ao entendimento da complexidade tectônica e às potencialidades aedificatorias, prática edilícia destinada ao bem estar da vida na cidade.

notas1
Texto originalmente publicado no website Globo On Line, em 14 de dezembro de 2007.

sobre o autor

João Virmond Suplicy Neto, Arquiteto, Professor da PUC-PR, Presidente do Departamento do Paraná do instituto de Arquitetos do Brasil – IAB-PR.

João Suplicy , Curitiba PR Brasil

Museu Oscar Niemeyer em Curitiba PR
Foto Abilio Guerra

 

comments

021.07
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

021

021.01

eCAADe 2007

Tendências indicam projeto generativo e fabricação digital

Gabriela Celani

021.02

Contentor urbano

Fredy Massad and Alicia Guerrero Yeste

021.03

Traçares

O olhar de Celso Minozzi sobre o mundo

Celio Pimenta

021.04

Agora, a palavra casa

Exposição "Uma casa", de Carmela Gross

Paulo Sergio Duarte

021.05

Conselho de Arquitetura e Urbanismo

Outra visão histórica

Elza Kunze

021.06

O nome de Cuba

Sérgio Valdés Bernal

021.08

Oscar Niemeyer

Comunismo e judaísmo

Vittorio Corinaldi

021.09

Richard Rogers + Architectes

Exposição no Centro Pompidou de Paris

Adalberto Retto Jr.

newspaper


© 2000–2021 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided