Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
Carlos Martins, professor do IAU-USP São Carlos, comenta a atual situação política nacional, onde escândalos e a política de terra arrasada dá o tom.

how to quote

MARTINS, Carlos A. Ferreira. O berrante e a boiada. Drops, São Paulo, ano 21, n. 165.02, Vitruvius, jun. 2021 <https://vitruvius.com.br/revistas/read/drops/21.165/8118>.


A sombra no Palácio do Planalto
Fotomontagem AG


Já é lugar comum dizer que no Brasil ninguém morre de tédio. Infelizmente não se pode dizer o mesmo sobre morrer de nojo, de Covid ou de fome. Ou de balas, chamadas perdidas apesar de raramente errarem a cor da pele.

Difícil escolher as notícias de destaque na semana a menos que a gente brinque de não se fascinar pelas manchetes e procurar as relações entre elas.

Então para quem teve coisa melhor pra fazer do que acompanhar a ópera bufa da pátria amada ou, ao contrário, assistiu tanta sessão da CPI que já está embaralhando tudo, aqui vai o meu resumo. E não, quando passamos de meio milhão de mortos, um bom percentual deles assassinados, não esperem imparcialidade.

Caiu Salles, o da boiada. Por que caiu? Por óbvias e muitas razões, como todos sabem. Mas a pergunta deveria ser porque só agora caiu. E porque a outrora imbatível, mas ainda poderosa, Rede Globo põe o mais respeitado e elegante de seus entrevistadores sentado à frente de um sorridente, confiante e recém maquiado general Mourão. Aquele que é mourão, mas parece disposto a aceitar de bom grado o papel de poste.

Salles era só o berrante, não o dono da boiada. Ele não caiu por causa da boiada nem porque os Estados Unidos o acusaram de contrabando de madeira nem porque a Amazônia vai virar lenda ou as terras indígenas as novas Serras Peladas.

Ele caiu para que o capataz-mor, que também não é o dono da boiada, embora goste de juntar umas vaquinhas para sua família, tentasse desviar os holofotes no dia em que a famosa sentença sallesiana foi invertida: Vamos aproveitar para oferecer o boi quando a imprensa está ameaçando prestar atenção demais na Covid!

Ou melhor, quando descobrimos que desprezo a todas as vacinas (Corona, Pfizer, Aztra, Covax) não era negacionismo, somente business as usual.

Para quem passou a semana em Marte: um funcionário de carreira do Ministério da Saúde, irmão de um deputado do DEM, denunciou que sofreu fortes pressões de superiores para aprovar a compra de uma vacina ainda não testada, por um preço muito superior a todas as outras e a única cuja compra era intermediada por uma empresa privada e devia ser paga antecipadamente em banco de paraíso fiscal.

Como o deputado era da base governista resolveu avisar o presidente, que olhou para o lado imerso em elucubrações filosóficas. No depoimento à CPI o deputado apareceu de colete à prova de balas e Bíblia. Indica domínio de marketing, mas também de que sabe com quem estão lidando.

E, no último minuto, revela-se que, sim, havia um parlamentar envolvido nessa história de gangsters: Ricardo Barros, do PP da república do Paraná, ex-ministro (da Saúde, rs.) do Temer. Acabou o espaço, mas dê um google em Ricardo Barros e você não vai se arrepender.

Roteiristas da Netflix continuam fichinha.

sobre o autor

Carlos Ferreira Martins é professor titular do IAU USP São Carlos e tem saudades dos tempos em que sabíamos de boiadas e berrantes pela ingenuidade da música sertaneja ou pela sofisticação de Guimarães Rosa ou Maureen Bisilliat.

 

comments

165.02 política
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

165

165.01 política

Mentiras criminosas e mentiras amenas

Milton Hatoum

165.03 defesa da cultura

Carta aberta sobre a mudança no Museu da Casa Brasileira

Gustavo Greco Lisita, Ludmila Oliveira da Cunha Pereira, Giovanni Vannucchi and Associação Brasileira de Empresas de Design Abedesign

165.04 arquitetura e memória

A demolição do tobogã e as memórias de um torcedor

A privatização e elitização do Estádio do Pacaembu

Erick Vicente

165.05 política

O novo e velho BBB

Udenismo nosso de cada dia

Carlos A. Ferreira Martins

165.06 homenagem

Jaime Lerner (1937-2021)

O homem que reinventava cidades

Vicente Loureiro

165.07 desempenho ambiental

O pobre desempenho ambiental dos escritórios por trás da caixa de vidro

O mito das certificações verdes (parte 7/8)

Ranny Michalski, Joana Gonçalves, Roberta Mülfarth, Marcelo Roméro, Alessandra Shimomura, Eduardo Pizarro, Monica Marcondes-Cavaleri, Paula Lelis, Marcelo Mello and João Cotta

newspaper


© 2000–2021 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided