Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

projects ISSN 2595-4245

abstracts

how to quote

PORTAL VITRUVIUS. Sede da Petrobras em Vitória ES. Projetos, São Paulo, ano 05, n. 056.01, Vitruvius, ago. 2005 <https://vitruvius.com.br/revistas/read/projetos/05.056/2519>.


Ata de Julgamento da Primeira Etapa

No dia 1º de junho de 2005, às 16h00, a Coordenação do Concurso reuniu a Comissão Julgadora (CJ) para visita guiada ao sítio escolhido pela Petrobras para a construção de sua sede em Vitória - ES, objeto do Concurso Público Nacional de Arquitetura. Após a vistoria do terreno, às 19h30, foi realizada reunião informal nas dependências do Novotel, com a presença do Coordenador do Concurso, arquiteto Anderson Fioreti de Menezes; do Presidente do IAB/ES, Alexandre Cypreste Amorim, e dos membros da CJ: arquitetos Alexandre Petroni, Carlos Maximiliano Fayet, Haroldo Pinheiro Villar de Queiroz, Ione Mota Marroquim, Pedro Paulo de Melo Saraiva, engenheiros Roberto Garcia Simões e Silvio Roberto Ramos. Na reunião foram observadas as expectativas do Promotor do Concurso, assim como sua importância para a cidade de Vitória e para o Estado do Espírito Santo, sendo sintetizados os critérios divulgados nas Bases do Concurso para avaliação dos trabalhos.

Em 02 de junho de 2005, às 9h00, na sede do CEFETES, na cidade de Serra - ES, foi instalada a Comissão Julgadora, com a presença do Presidente do IAB/ES, do Coordenador e do Secretário Executivo do Concurso, arquiteto João Marcelo de Souza Moreira. Após a sua saudação, o Presidente do IAB/ES retirou-se do recinto de julgamento para o início dos trabalhos. A seguir, manifestaram-se todos os membros da CJ e, por unanimidade, elegeram como Presidente do Júri o arquiteto Carlos Fayet e como Relator o arquiteto Alexandre Petroni.

O Coordenador informou à CJ o recebimento de 131 trabalhos na sede do IAB/ES, sendo considerados aptos para avaliação 126 trabalhos. Esclareceu que foram descartados dois trabalhos por terem sido postados após a data limite estabelecida pelo Edital do Concurso, um trabalho por ter identificado o número de inscrição em suas pranchas de apresentação (no 33), um trabalho por apresentar número de pranchas inferior ao determinado pelo Regulamento do Concurso (no 04) e um trabalho por apresentar as pranchas fora do formato exigido pelo Regulamento do Concurso (no 115).

A CJ, ouvindo a Coordenação do Concurso, deliberou também não apreciar os seguintes trabalhos que não cumpriram os parâmetros de apresentação determinados pelo Regulamento do Concurso (item 6.3 e Errata 03): nº 32, nº 40, nº 65 e nº 99, por uso de cor nas pranchas; nº 128 e nº 129, por uso de pranchas em tamanho maior. Restaram para avaliação da CJ 120 concorrentes.

Na seqüência foram discutidos os procedimentos para análise das propostas, deliberando pelo estudo inicial de cada trabalho em caráter individual. Ao final do período, cada membro da CJ indicou as propostas que mais se aproximaram dos objetivos estabelecidos nas Bases do Concurso, sendo destacados para a segunda fase de avaliação todos os trabalhos que receberam indicação de pelo menos um Jurado. Desta forma, foram selecionados quarenta e três propostas, de números: 02, 09, 11, 14, 16, 18, 20, 24, 25, 27, 29, 30, 31, 37, 41, 43, 44, 50, 52, 54, 56, 61, 67, 68, 69, 70, 71, 73, 74, 77, 80, 82, 81, 85, 88, 96, 102, 105, 120, 121, 122, 123 e 124.

Às 20h30 os trabalhos de avaliação foram suspensos.

Em 03 de junho de 2005, às 9h00, a CJ reiniciou a avaliação, passando a analisar e discutir coletivamente as propostas remanescentes, em rodadas sucessivas, sobre as qualidades e insuficiências de cada um dos trabalhos selecionados.

Na terceira discussão foram selecionadas trinta e duas propostas, de números: 02, 09, 11, 14, 16, 20, 24, 25, 27, 29, 31, 41, 43, 50, 54, 56, 61, 68, 70, 71, 73, 74, 80, 81, 85, 88, 96, 102, 105, 120, 121 e 124.

Na quarta discussão foram selecionadas vinte e duas propostas, de números: 02, 09, 11, 16, 24, 29, 31, 41, 43, 50, 54, 56, 61, 74, 81, 85, 88, 96, 102, 120, 121 e 124.

Na quinta discussão foram selecionadas treze propostas, de números: 02, 09, 16, 24, 31, 41, 43, 56, 61, 85, 102, 120 e 124.

Na sexta discussão foram selecionadas nove propostas, de números: 09, 16, 24, 31, 43, 56, 85, 102 e 120.

Na sétima discussão foram selecionadas sete propostas, de números: 09, 16, 24, 31, 43, 56 e 102. Às 19h30 foram encerrados os trabalhos do segundo dia de avaliação.

Em 04 de junho de 2005, às 9h30, a CJ retomou os trabalhos de avaliação das sete propostas selecionadas nos dias anteriores. Preliminarmente, a CJ, por unanimidade, deliberou prorrogar seus trabalhos por mais 24 horas, objetivando dedicar todo o dia, exclusivamente, à avaliação das propostas classificadas como semi-finalistas, transferindo a consolidação da Ata dos trabalhos da CJ para o dia seguinte.

Cada proposta foi rediscutida pela CJ que, ao final do dia, deliberou conceder Menção Honrosa à proposta de número 24, pela implantação criativa, com baixa taxa de ocupação, generosas visuais internas, definindo sua preocupação com o sítio, gerando um projeto com relacionamento urbano direto com a comunidade.

A seguir, por maioria dos votos, a CJ indicou como finalistas do Concurso as propostas de números 09, 16 e 102, encerrando as discussões às 19h30.

Em 05 de junho de 2005, às 09h30, a CJ reuniu-se e consolidou suas considerações finais. Para a segunda fase do Concurso, os projetos selecionados deverão, de forma clara e objetiva, aprimorar e explicitar particularmente os seguintes aspectos:

  • Solução estrutural adotada;
  • Caminhamentos e prumadas de instalações;
  • Dimensionamento dos equipamentos de circulação vertical;
  • Atendimento à legislação;
  • Interface da primeira com a segunda etapa de ampliação das edificações;
  • Fluxos de circulação de pessoas, veículos e serviços;
  • Portarias de acessos e segurança patrimonial;
  • Inclinações de rampas e sistema viário;
  • Adequação integral ao Programa de Necessidades;
  • Princípios de eficiência energética e sustentabilidade;

Cada equipe finalista verificará em que aspecto do seu projeto se aplicam as recomendações acima.

Vitória/ES, 05 de junho de 2005.

Alexandre Petroni
Carlos Maximiliano Fayet
Haroldo Pinheiro Villar de Queiroz
Ione Mota Marroquim
Pedro Paulo de Melo Saraiva
Roberto Garcia Simões
Silvio Roberto Ramos

source
IAB-ES
Vitória ES Brasil

comments

056.01 Concurso
abstracts
how to quote

languages

original: português

source
IAB-ES
Vitória ES Brasil

share

056

newspaper


© 2000–2021 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided