Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
Antônio Agenor Barbosa fala sobre uma "nova profissão", surgida em tempos de eleição no Brasil: gente simples que fica de sol a sol segurando fotos e cartazes de candidatos nas vias públicas

english
Antonio Agenor Barbosa talks about a "new profession", arising at times of election in Brazil: simple people who are holding photos and posters of candidates on public roads from sunrise to sunset

español
Antônio Agenor Barbosa habla sobre una "nueva profesión", surgida en tiempo de elección en Brasil: gente sencilla que permanece de sol a sol sosteniendo carteles de candidatos en la vía pública

how to quote

BARBOSA, Antônio Agenor. O pobre e o político na terra do sol. Fotos gigantescas de gente nem tanto.... Drops, São Paulo, ano 07, n. 017.01, Vitruvius, dez. 2006 <https://vitruvius.com.br/revistas/read/drops/07.017/1701>.


Atrás de um candidato sorridente (bastidores da campanha)


Não há dúvida de que mais vale a "sujeira" da democracia que a "assepsia" da ditadura. Esta frase é atribuída ao Tristão de Athayde (Alceu de Amoroso Lima) e eu concordo plenamente com ela.

Nesta campanha deste ano até que a democracia não está produzindo tanta sujeira urbana para emporcalhar nossas cidades e isto é louvável. Mas em uma simples caminhada pela Zona Sul do Rio em uma manhã ensolarada não pude deixar de me sensibilizar com estas figuras tristes e cabisbaixas que seguram cartazes de candidatos sempre sorridentes e felizes.

Num país que não dá oportunidades de trabalho e de estudos para a maior parte de seu povo e dos seus cidadãos dá pra perceber que as campanhas políticas não fazem a festa apenas de candidatos ávidos por votos e por recolherem fundos para as suas campanhas. Sabemos também que mesmo muitos candidatos que não serão eleitos poderão depois aproveitar as sobras de campanha provenientes de "Caixa 2" o que gera o bonito nome de "dinheiro não contabilizado", como já definiu outrora o "nosso companheiro" Delúbio Soares – para usar a expressão do Nosso Guia que, ao que tudo indica, será reeleito.

Mas dá pra ver que essa gente simples que fica de sol a sol segurando as fotos de sorridentes e felizes candidatos também aproveita o momento pra descolar um trocado para desempenhar uma atividade tão banal que não precisa de nenhuma qualificação para fazê-la, infelizmente.

Seria interessante pensar o que os candidatos, se eleitos, poderão fazer de concreto (e sem retórica ou demagogia) por esta gente simples e triste que segurando suas fotos gigantescas ajudou a elegê-los.

notas

[publicação: janeiro 2007]

Antônio Agenor Barbosa, Rio de Janeiro RJ Brasil

Atrás de um candidato sorridente (bastidores da campanha)

Atrás de um candidato sorridente (bastidores da campanha)

Atrás de um candidato sorridente (bastidores da campanha)

 

comments

newspaper


© 2000–2021 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided